ProTipster Notícias sobre Apostas

Vencedor do Euro 2020: Odds, apostas de longo prazo, favoritos e muito mais para o torneio deste verão

Vencedor do Euro 2020: Odds, apostas de longo prazo, favoritos e muito mais para o torneio deste verão

A espera está perto de chegar ao fim. Cinco anos depois, a bola vai voltar a rolar e disputar-se-á a competição de seleções mais importante do continente. O Euro 2020, adiado um ano devido à pandemia COVID-19, será jogado entre os dias 11 de junho e 11 de julho de 2021.  A edição 2020 do torneio aportará várias novidades, entre as quais o facto de se disputar um pouco por toda a Europa, contrariando o método convencional com uma ou duas nações a acolherem todos os desafios da competição. A decisões, essas, serão jogadas no mítico Wembley, em Londres.

Apostas favorecem França e Inglaterra

Anfitriã e finalista vencida da última edição do Campeonato da Europa, a seleção francesa chega a este Euro 2020 enquanto principal favorita à vitória final. A campeã do mundo em título singrou na Rússia com todo o mérito em 2018 e, três anos depois, apresentar-se-á com um lote de escolhes bastante idêntico e aquela que é a próxima “big thing” do futebol mundial três anos mais experiente: de seu nome, Kylian Mbappé. O lote de selecionáveis ao dispor de Didier Deschamps é invejável, tanto que o lote de ausências de peso permitiria elaborar quase que uma outra seleção altamente competitiva. Ferland Mendy (Real Madrid), Upamecano (Bayern de Munique), Theo Hernández (AC Milan), Ndombelé (Tottenham), Camavinga (Rennes), Martial (Manchester United) ou Lacazette (Arsenal) são apenas alguns dos nomes que não constam na convocatória francesa, uma autêntica constelação que ainda por cima conta com um regresso “de peso”: Karim Benzema. Após vários anos arredado da seleção por ter estado alegadamente envolvido num esquema de chantagem para com o colega Mathieu Valbuena, o avançado do Real Madrid que realizou uma grande época ao serviço dos “Merengues” volta aos eleitos e será, com toda a certeza, muito importante para as aspirações da sua nação. A qualidade individual, a experiência, a quantidade de soluções e o facto de ter superado o “trauma” de 2016 com a conquista do Mundial da Rússia fazem com que a França seja indiscutível favorita à conquista do troféu. Tudo isso terá que ser posto em prática nesta fase final do Euro 2020, mas, “puxando o filme atrás”, terá existido alguma equipa tão favorita à vitória final quanto esta França nas últimas fases finais de grandes competições?

A Inglaterra é uma nação com uma tradição futebolística das mais ricas à escala global, mas isso não se traduz na quantidade de títulos conquistados pelos “Three Lions” até aos dias de hoje. Desde o Mundial de 1966, disputado em casa, que a Inglaterra não conquista um troféu, partindo aqui em busca do primeiro Europeu da sua história. E a realidade é que os motivos que sustentam este favoritismo se podem começar a explicar por aí… Nesta edição da prova que se disputará em vários pontos do continente, as decisões vão ser jogadas em Wembley e com adeptos nas bancadas, algo que naturalmente jogará a favor de Inglaterra. Ainda assim, dizer que os ingleses são favoritos em virtude desse fator é algo altamente redutor. Gareth Southgate tem uma invejável lista de selecionáveis à sua disposição e a nova geração, composta por Phil Foden, Jadon Sancho e companhia limitada faz o povo inglês acreditar que é possível conquistar o primeiro Campeonato da Europa da história. Há muita qualidade individual na seleção que em campo será liderada por Harry Kane e Southgate aparenta ser o homem certo no lugar certo. A campanha no Mundial 2018 culminou no quarto lugar e os ingleses acreditam que poderão mesmo conquistar o troféu nesta ocasião.

 Bélgica 

Limpar a imagem de 2016 e estar a um nível mais próximo daquilo que exibiu em 2018, nos relvados russos. É esse o desígnio da “geração de ouro” do futebol belga que em França, há cinco anos atrás, defraudos as melhores expectativas ao acabar eliminada às mãos da congénere do País de Gales, mas que volvidos dois anos fez terceiro lugar no Mundial da Rússia. Detentora de um registo imaculado na fase de qualificação com 30 pontos conquistados em 30 possíveis, a qualidade individual que a equipa belga apresenta é perfeitamente equiparável à de França e Inglaterra, ao passo que, do ponto de vista coletivo, é uma seleção igualmente poderosa e competente, capaz de se debater com qualquer adversário. Uma equipa que conta com os préstimos de Kevin De Bruyne, Eden Hazard (ainda que após uma temporada modesta em Madrid) ou Romelu Lukaku tem que ser candidata a grandes coisas e a Bélgica de Roberto Martínez figura, inevitavelmente, como terceira principal candidata a vencer o Euro 2020.

Alemanha

“O futebol é 11 contra 11 e no final ganha a Alemanha”. A máxima não se aplica sempre, mas é invocada muitas vezes, atendendo às qualidades que denotam tanto as seleções quanto os clubes alemães. Como tal, há que contar sempre com a Alemanha. A Alemanha não chega ao Euro 2020 no seu melhor. O Mundial da Rússia não correu nada bem – culminou com o afastamento logo na fase de grupos – e a “Mannschaaft”, ainda que sempre respeitável e imponente, também tem passado por alguns sobressaltos nos últimos jogos em fases de qualificação e na Liga das Nações. Como tal, os responsáveis da Federação decidiram colocar um ponto final na “era Low” e o técnico germânico deixará de orientar a seleção após o Euro 2020. Hansi-Flick é o eleito para o lugar e terá a responsabilidade de dar continuidade à renovação que Low já vinha levando a cabo. 

Espanha

Esta não é a Espanha que dominou o futebol mundial entre 2008 e meados de 2014, mas “La Furia” quer ter uma palavra a dizer. Os quadros da seleção têm sido renovados ao longo dos últimos anos e há muito talento a despontar em solo espanhol, mas há que dar tempo ao tempo e a equipa treinada por Luis Enrique ainda não tem a imponência exibida outrora, nomeadamente nos tempos de Vicente Del Bosque. O privilégio da posse continua a ser um traço identitário desta Espanha que, no entanto, é hoje uma equipa mais incisiva nas suas ações, menos “especuladora” e mais voltada para a frente. Destaque para a ausência de Sérgio Ramos nos convocados. 

Portugal

O campeão em título nunca pode ser desconsiderado. A seleção portuguesa não está entre as principais favoritas à conquista do troféu, mas há cinco anos atrás também não o era, nem antes, nem durante a competição. O golo mais importante da história da seleção nacional, apontado por Éder, permitiu à equipa portuguesa silenciar o Stade de France e conquistar o primeiro troféu internacional da sua história. Volvidos cinco anos, embora não haja Éder, uma coisa é certa: Fernando Santos tem provavelmente uma seleção com ainda mais talento sob suas ordens com jogadores como Rúben Dias, João Cancelo ou Bernardo Silva e outros que, sendo repetentes, amadureceram bastante nestes cinco anos. Cristiano Ronaldo, independentemente de uma época não tão conseguida na Juve, tem capacidade para continuar a ser um fator diferenciador ao serviço da seleção das “Quinas” – será este o último Europeu de CR7?

“Cavalos Negros” na luta pelo título

França e Inglaterra surgem numa primeira linha em termos defensivos, seguidos das seleções acima citadas. O vencedor do torneio não deverá “fugir” aos nomes acima citados, considerando a hierarquia definida em termos de favoritismo. A Itália está de regresso a uma fase final e tem obtido bons resultados sob as ordens de Roberto Mancini mas não nos parece possível coloca-la entre os favoritos; a Holanda também regressa a um grande palco mas não pode contar com Van Dijk, ao passo que a Croácia, atual vice-campeã mundial, não tem tido os melhores resultados (nem nível exibicional) nos últimos anos. 

Outros mercados para o Euro 2020

Os mercados de médio/longo prazo para este Euro 2020 não estão somente associados ao potencial vencedor da competição. Casas de Apostas com a Betwinner ou a LS Bet disponibilizam outro tipo de mercados, desde opções que permitem prognosticar quanto ao vencedor de cada um dos grupos da competição quanto a apostas viradas para componente individual.

Embora o futebol seja um desporto coletivo, sabemos que existem vários mercados dedicados a desempenho individual. Um exemplo claro disso são os mercados para marcadores de golos. No caso do Euro 2020, poderá também investir o seu dinheiro em mercados associados ao potencial vencedor do prémio de melhor jogador do torneio ou de melhor marcador da competição.